No Banner to display

Polícia Civil irá investigar outras viagens feitas por vereadores de Santa Rita

A Polícia Civil informou, nesta terça-feira (05) que as investigações que culminaram com a prisão de 11 vereadores da cidade de Santa Rita, além do contador da Câmara Municipal, Fábio Cosme na madrugada desta terça-feira (05) não serão as únicas.

De acordo com o delegado Alan Murilo Terruel outras viagens feitas pelos parlamentares também estão na mira.

Ainda segundo a Polícia Civil,  a terceira fase da operação levantará dados sobre os gastos dos vereadores no congresso investigado além de outros eventos que tiveram participação dos acusados.

Os vereadores presos na Operação desta terça foram:

  • 1 – Anesio Alves de Miranda Filho
  • 2 – Brunno Inocencio da Nóbrega Silva
  • 3 – Carlos Antônio da Silva
  • 4 – Francisco de Medeiros Silva
  • 5 – Diocélio Ribeiro de Sousa
  • 6 – Francisco Morais de Queiroga
  • 7 – João Evangelista da Silva
  • 8 – Ivonete Virgínio de Barros
  • 9 – Marcos Farias de França
  • 10 – Sérgio Roberto do Nascimento
  • 11 – Roseli Diniz da Silva

PB Agora

Compartilhe:

No Banner to display


1 comment

  1. Mani 6 novembro, 2019 at 10:42 Responder

    Segundo o Ministério Público do Rio Grande do Sul, que monitorou a movimentação dos políticos entre os dias 31 de outubro e 4 de novembro, praticamente todos os vereadores levaram acompanhantes. Para esta viagem, foram pagos R$ 69 mil em diárias, além das passagens aéreas. O presidente da Câmara da cidade recebeu R$ 9 mil, enquanto que os demais parlamentares, R$ 6 mil cada um. Por sua vez, a empresa de palestras recebeu do Legislativo de Santa Rita cerca de R$ 58 mil neste ano para este e outros eventos. No ano passado, foram mais de R$ 49 mil.

    Os vereadores desembarcaram na madrugada desta terça-feira (5) em Recife, e foram presos logo depois, no deslocamento para João Pessoa. O MP da Paraíba investiga, entre outros, o crime de peculato. Isso porque, conforme informações obtidas pelo MPRS e repassadas para o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) da Paraíba, as palestras, todas ministradas por uma servidora do legislativo de Barra dos Coqueiros, no Sergipe, ocorreram em dias específicos e por poucas horas. O restante do tempo era preenchido com passeios pelas cidades de Gramado e Canela.

Deixe o seu comentário