Estudante de direito suspeita de extorsão por meio de sites de relacionamento é solta

A estudante de direito Isabelle Crosara de Carvalho, de 23 anos, presa em Anápolis, a 55 km de Goiânia, suspeita de extorquir usuários em sites de relacionamentos na internet, foi solta por decisão da Justiça. Ela terá que cumprir medidas cautelares.

Segundo a decisão dada pela juíza Flávia Pinheiro Brandão Oliveira, a jovem não pode mudar do endereço apresentado por ela sem comunicar à Justiça. Segundo o delegado Giancarlos Zuliani Júnior, a jovem já voltou para Anápolis, onde é a residência fixa dela.

“O endereço apresentado na Justiça é o que foi dado por ela na delegacia. É o mesmo onde aconteceu a prisão. Ela foi solta provisoriamente, mas segue investigada. Em depoimento na delegacia, negou o crime, mas admitiu que o número do telefone usado na extorsão é o dela. Porém, não soube explicar como o telefone foi usado”, contou Giancarlos.

Isabelle não apresentou a advogado durante a audiência de custódia, que aconteceu no último dia 30, no Distrito Federal, já que a denúncia resultante na prisão dela foi feita na Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) de Brasília. O G1 tenta um contato dela.

A suspeita foi presa em flagrante na tarde de quinta-feira (29), segundo a polícia, cinco horas após uma vítima do DF procurar à delegacia. Segundo o delegado, ela chegou a cobrar R$ 40 mil de dessa para não revelar conversas e fotos íntimas de um homem casado para conhecidos.

Segundo o delegado, a polícia rastreou de onde as mensagens estavam partindo. A vítima não chegou a pagar o valor exigido.

As investigações apontam que a jovem seria a responsável em trocar mensagens íntimas com alguns usuários por um site de acompanhantes e, em determinado momento, afirmava que tinha informações sobre parentes ou companheiro da vítima e exigia dinheiro para não divulgar fotos e mensagens íntimas para eles.

Ainda segundo o delegado, no dia da prisão ela e o namorado usaram cães da raça pitbull para atacar os policiais na tentativa de impedir a prisão. Giancarlos diz que ela responderá pelos crimes de extorsão pela internet e resistência.

Já o namorado dela foi liberado após assinar termo de compromisso de comparecimento à Justiça e irá responder pelo delito de resistência.

“O inquérito está praticamente pronto, esperando a perícia do celular apreendido, que deve sair em 60 dias. A partir daí faremos uma investigação mais detalhada sobre outras possíveis vítimas. Por envolver diálogos e fotos íntimas, é uma situação extremamente constrangedora para as vítimas, que muitas vezes nem procuram à delegacia”, afirmou o delegado.

Para Giancarlos, é possível que existam vítimas em Goiás e outros estados.

“Nós vamos tentar identificar outras vítimas do DF, e eventualmente vítimas de Goiás também, porque o crime pela internet não respeita fronteiras. Então, é possível que se encontre vítimas até de outros estados mais longe de Anápolis”, relatou.

G1 Goiás

Compartilhe:

No Banner to display


Deixe o seu comentário