Adolescente do RN foi assassinada em canavial no município de Mamanguape, diz Polícia da PB

O homem suspeito de ter matado a adolescente do Rio Grande do Norte e ter deixado o corpo dela em um canavial da Paraíba foi preso neste sábado (31), em Custódia, em Pernambuco. As prisões dele e de outro suspeito foram realizadas pela Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal (PRF) da Paraíba.

Josué Cabral Santos, de 34 anos, foi preso em um posto de combustíveis, na BR-232. Ele estava em um posto de combustível na companhia de outro homem que transportava drogas. Segundo a PRF, ele não resistiu à prisão.

O corpo de Karolina Oliveira, de 16 anos, foi encontrado na manhã do dia 6 de agosto, em um canavial no município de Capim. A adolescente estava desaparecida desde a noite anterior, quando saiu de casa para ir a uma lan house. O corpo foi reconhecido pelo pai da adolescente no dia 7 de agosto.

De acordo com a Polícia Civil da Paraíba, a adolescente foi assassinada no canavial do município de Mamanguape, no mesmo local onde o corpo foi  encontrado. A polícia ainda não sabe a motivação do crime, já que o suspeito não confessou o assassinato.

“Ele nega a autoria do crime. Disse que pediu informações sobre onde encontrar uma farmácia e seguiu viagem. Ficou evidente que o suspeito abordou a vítima e deu para perceber que ele conversa com ela alguns minutos. Ele lançou de alguma estratégia para convencer ela a entrar no caminhão e depois ela não pode mais sair”, relatou o delegado Walter Brandão.

Na última quinta-feira (29), foram presos Carlos Henrique Batista e Luciano Rodrigues da Silva, suspeitos de participarem da morte de Karolina Oliveira Homes, de Goianinha, no Rio Grande do Norte. De acordo com a Polícia Civil da Paraíba, a prisão foi efetuada por eles em Pernambuco, na comunidade do Ibura, em Recife. Os suspeitos estavam com o celular da vítima. Ainda de acordo com a investigação, o celular primeiro passou pelas mãos do Luciano e logo em seguida para Carlos Henrique.

O pai de Karolina contou que a filha saiu de casa para ir imprimir um trabalho de matemática numa lan house. “Ela sequer chegou lá. Ligamos para ela várias vezes, mas não conseguimos contato”, contou Francisco Ananias.

Ainda segundo Francisco, o corpo da filha foi encontrado pela manhã. Estava sem roupas, em meio a um canavial, às margens de uma rodovia estadual na zona rural de Capim, que fica no litoral Norte paraibano, distante 85 quilômetros de Goianinha.

Diario da Paraiba com Clickpb

Compartilhe:

No Banner to display


Deixe o seu comentário