No Banner to display

Apple ignora tensões entre EUA e China e abre sua maior loja na Ásia

Novas instalações têm o dobro do tamanho da antiga sede, que foi fechada, e fica no  bairro de Sanlitun, área nobre de Pequim, capital chinesa.

A Apple abriu nesta sexta-feira (17), em Pequim, o que, segundo a imprensa local, é a maior loja da companhia americana na região Ásia-Pacífico, em um momento em que as tensões entre os Estados Unidos e China aumentam a cada dia.

Aparentemente alheia às tensões comerciais, diplomáticas e tecnológicas entre as duas potências, a nova loja da Apple, no bairro de Sanlitun, área nobre da capital chinesa, é o dobro do tamanho da antiga sede, agora fechada e localizada no mesmo shopping.

Hoje, quando a loja foi inaugurada, pessoas aguardavam em filas para conhecer o seu interior, que é alimentado exclusivamente por energia renovável, de acordo com informações da própria empresa.

Para acessá-la, é necessário usar uma máscara, passar por um controle de temperatura e manter uma distância segura, além de mostrar um certificado de saúde no telefone celular.

A nova sede da Apple em Pequim possui um imenso vitral em sua fachada oeste com a imagem de uma sophora, uma árvore muito comum na capital chinesa.

“Desde a abertura (de uma loja da Apple em Pequim) há 12 anos e com 52 funcionários, a Apple Sanlitun recebeu mais de 22 milhões de visitantes, o equivalente a todos os moradores da cidade”, disse a empresa em comunicado publicado em seu site oficial. O novo estabelecimento tem 185 funcionários.

De acordo com a consultoria CINNO Research, sediada na cidade de Xangai, a Apple vendeu 3,9 milhões de unidades do iPhone na China, no mês de abril, assim que as restrições começaram a ser reduzidas para impedir a propagação do novo coronavírus.

No mês seguinte, segundo a mesma fonte, as vendas na China do mesmo aparelho da Apple foram de 3,6 milhões.

A empresa americana possui 42 lojas na China continental.

 

Diário da Paraíba com R7


No Banner to display