No Banner to display

“Bolsonaro foi eleito pra governar para o povo e não para os milicianos”, dispara Lula

Livre após 580 dias preso – que muitos consideram de forma injusta -, Lula (PT) deu seu primeiro pronunciamento ao povo brasileiro neste sábado (9) em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, em São Paulo, a uma multidão que se reunia à espera do ex-presidente. Lula criticou duramente o governo Bolsonaro (PSL), a Lava-Jato e a relação de Bolsonaro com as milícias.

Num trecho forte do seu discurso, Lula confrontou diretamente o atual presidente da República Jair Bolsonaro. Disse que “ele foi eleito para governar para o povo brasileiro e não para governar para os milicianos do Rio de Janeiro”.

Lula ainda perguntou onde está o Queiroz e cobrou investigações sérias sobre o caso Marielle, que, segundo ele, Bolsonaro tentou atrapalhar. E disse que não sabe como este pessoal junta dinheiro. “Se me virar de cabeça para baixo não cai nem uma moeda”. E disse que enquanto ele trabalhava no torno, Bolsonaro dava um jeito de entrar no Exército pra arrumar confusão e se aposentar.

“Por que esse cidadão que nunca ganhou um salário mínimo resolveu falar que não vai aumentar o salário mínimo? Por que eles vão apresentar um projeto econômico que vai empobrecer ainda mais a população brasileira? Ontem e hoje eu vi os dados do IBGE, o povo tem menos saúde, tem menos emprego. Acho que não tem outro jeito. Não tem ninguém que conserte esse país sem que vocês queiram que consertem. Não adianta ficar com medo. A gente tem que ter a seguinte decisão: esse país é de 210 milhões de habitantes e não podemos permitir que os milicianos acabem com ele”, criticou.

“Não podemos permitir que os milicianos acabem com esse país que nós construímos”, disparou ainda. “Ele nunca fez um discurso que prestasse, ele só sabia ofender as mulheres, ofender os LGBTs”.

Lula ainda declarou que está pronto para percorrer o Brasil para lutar pelo país. “Eles não sabem o tesão que eu estou para brigar por esse país. Agora é lutar, é atacar e não apenas se defender. A gente está muito tranquilo. Podem contar comigo, pois a única coisa que eu não vou fazer é trair a confiança que vocês têm em mim”, finalizou.

Lava Jato

O ex-juiz federal Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, que foram flagrados pelo The Intercept Brasil, também foram alvos do discurso do ex-presidente. “Eu tomei a decisão de ir lá para a Polícia Federal porque eu preciso provar que o juiz Moro não era juiz, era um canalha que estava me julgando. Eu precisava provar que o Dallagnol não representa o MP, que é uma instituição séria. Ele montou uma quadrilha com a Força-Tarefa da Lava Jato, inclusive para roubar dinheiro da Petrobrás e das empreiteiras. Se eu tivesse saído do Brasil, eu seria tratado como fugitivo. Eu decidi ir para pertinho deles para poder provar para a sociedade”, declarou.

Lula livre

Lula passou a noite em Curitiba após reconquistar a liberdade e deixar a Superintendência da Polícia Federal na tarde da sexta-feira (8). Em seu primeiro ato, agradeceu aos companheiros da Vigília Lula Livre, que durante os 580 estiveram com ele, dando bom dia e boa noite.

Em seu primeiro discurso, exaltou a mobilização popular que lutou pela sua liberdade e lhe deu forças durante a prisão, encerrada após decisão de juiz que seguiu determinação do STF. Lula ainda criticou a Globo, a Lava Jato e o governo Bolsonaro e afirmou que as eleições de 2018 foram roubadas.

“Eu quero que vocês saibam que, além de continuar lutando para melhorar a vida do povo brasileiro, eu quero dizer o que o lado mentiroso da PF, do MPF, além do Moro e do TRF-4, tem que saber: eles não prenderam um homem, eles tentaram matar uma ideia, mas uma ideia não se mata. Se existe uma quadrilha e um monte de mafioso neste país, é essa maracutaia que eles fizeram para tentar, liderado pela Rede Globo de Televisão, que o PT e o Lula eram criminosos”, afirmou.

À noite, Lula encontrou o ex-ministro José Dirceu, que também foi libertado após a decisão do STF de derrubar a prisão em segunda instância. Em vídeo após o encontro, Dirceu disse que é preciso deixar claro que o projeto progressista representa o oposto do que o neoliberalismo conservador de Jair Bolsonaro vem fazendo no Brasil. “Agora não é por Lula livre. Agora é para retomarmos o governo do Brasil”, disse Dirceu.

Lula também gravou um vídeo para os líderes progressistas que estão reunidos na Argentina no grupo de Puebla. “Quero dar um abraço para todos os companheiros de todos os países que participam do Grupo Puebla e todas as personalidades. Eu queria dizer pra vocês que eu finalmente estou livre e estou com muita vontade de lutar”, disse.

Pela manhã, Lula se deslocou de avião até São Paulo, onde se dirigiu imediatamente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde chegou por volta das 13h.

Diário da Paraíba com Revista Forum

Contato com a Redação: empauta2010@gmail.com

Compartilhe:

No Banner to display


Deixe o seu comentário