Bolsonaro informa em rede social que novo exame para a Covid-19 deu resultado positivo

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta quarta-feira (15) que o novo exame que realizou para a detecção da Covid-19 teve resultado positivo. O material foi colhido na manhã de terça (14) e o resultado, liberado à noite.

“Eu não recomendo nada. Eu recomendo que você procure seu médico e converse com ele. O meu, no caso, médico militar, foi recomendada a hidroxicloroquina e funcionou. Estou bem, graças a Deus.

Ontem de manhã fiz exame, à noite deu resultado que ainda estou positivo para o coronavírus”, declarou, durante transmissão em rede social.

“A gente espera que nos próximos dias eu faça um novo exame e, se Deus quiser, dê tudo certo para a gente voltar logo à atividade”.

No último dia 7, o presidente anunciou em redes sociais que tinha sido contaminado pelo novo coronavírus. Segundo Bolsonaro, os primeiros sintomas da doença surgiram no domingo (5), quando ele se sentiu indisposto.

O quadro piorou na segunda-feira (6), quando teve febre e mal-estar e realizou o exame para a Covid-19.

Bolsonaro despacha por videoconferência na residência oficial do Palácio da Alvorada desde o dia 7. Nesta quarta, o presidente participou remotamente da cerimônia de sanção do novo marco do saneamento básico.

Nesta quinta, Bolsonaro recebeu na residência oficial o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno – os dois se cumprimentaram com um aperto de mão.

Em nota após o anúncio de Bolsonaro, a Secretaria de Comunicação afirmou que “o presidente permanece no Palácio da Alvorada, residência oficial, e continua sendo acompanhado pela equipe médica da Presidência da República”. O texto não fala em isolamento.

Tratamento não comprovado

Ao informar o primeiro resultado positivo, Bolsonaro anunciou que está tomando hidroxicloroquina, remédio defendido por ele como tratamento para a Covid-19.

Não há comprovação científica da eficácia dessa substância no enfrentamento da doença, e há evidências de que o uso indiscriminado pode inclusive aumentar o risco de agravamento.

O presidente tem 65 anos e faz parte da faixa etária considerada por especialistas como grupo de risco. Pela manhã, a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto informou que o quadro de saúde do presidente evoluía bem.

Desde a chegada da pandemia ao Brasil, no fim de fevereiro, Bolsonaro vem descumprindo orientações de autoridades de saúde sobre as medidas de isolamento, consideradas fundamentais para barrar o avanço da doença.


No Banner to display