No Banner to display

Brasil permite reação do Canadá no segundo tempo e se despede do Torneio da França com empate

No terceiro amistoso pelo Torneio da França, a seleção brasileira feminina empatou com o Canadá em 2 a 2, em Calais, depois de abrir dois gols de vantagem no primeiro tempo, com gols de Marta e Ludmila. Dominado na etapa final, o Brasil ficou com uma jogadora a menos após a expulsão de Jucinara, aos 29 minutos, logo depois do primeiro gol canadense. Com vantagem numérica, as canadenses chegaram ao empate aos 40. A seleção brasileira se despediu do torneio com dois empates (0 a 0 com a Holanda na estreia) e uma derrota (1 a 0 para a França).

– Acho que foi positivo (o torneio). A gente encarrou três grandes seleções, e para a nossa preparação era de suma importância estar jogando esses jogos, ver várias atletas. Todas que vieram para cá jogaram, e isso é muito importante. O jogo de hoje foi bem intenso, do começo ao fim, conseguimos fazer dois gols no primeiro tempo, mas com a expulsão da Juci complicou um pouco e elas ganharam confiança. Foi um período de testes muito importante para a gente saber lidar com situações como essa, saber cadenciar o jogo.

O Canadá foi todo ataque nos três primeiros minutos. E só. Depois disso, só deu Brasil na etapa inicial. Bastou uma boa trama ofensiva para a seleção brasileira abrir o placar: aos sete minutos, Marta passou por Julia Grosso na intermediária, tabelou com Bia Zaneratto e, cercada por duas marcadores na área, chutou cruzado, sem chance para a goleira Stephanie Labbé. Foi o primeiro gol da camisa 10 sob o comando de Pia Sundhage, em seu sétimo amistoso com a treinadora sueca. Marta foi o destaque do Brasil no primeiro tempo, com muita movimentação, inclusive defensiva. Aos 16, Ludmila, outro destaque da equipe, aproveitou a falha de Labbé no cruzamento de Bia Zaneratto e tocou para marcar o segundo do Brasil. A nota triste do primeiro tempo foi a saída da goleira Bárbara, que sofreu uma lesão muscular aos 20 minutos.

As duas equipes voltaram mudadas do intervalo, especialmente o Canadá, com quatro substituições. E as novidades canadenses foram fundamentais para a reação, especialmente a meia Desiree Scott e a atacante Nichelle Prince. O time da América do Norte passou a ocupar o campo defensivo do Brasil, que não conseguia explorar os contra-ataques com Cristiane, Andressa Alves e Debinha, três das novidades da etapa final. Aos 27, Prince fez ótima jogada pela direita, entrou na área e rolou para Matheson chutar da pequena área, sem chance para Aline Reis. Dois minutos depois, Jucinara derrubou Sophie Schmidt quando ela entraria na área, e recebeu o cartão vermelho. A pressão canadense aumentou e, aos 40, Janine Beckie recebeu ótimo passe de Matheson e chutou na saída da goleira brasileira.

Diário da Paraíba com GE

Compartilhe:

No Banner to display