Cartaxo retira R$ 3 milhões da saúde, moradia e mobilidade para publicidade da prefeitura

Sob os protestos e com votos contrários dos vereadores de oposição, a Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) aprovou, na manhã desta quinta-feira (24), um projeto de lei enviado pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV) – na foto – que remaneja R$ 3 milhões para a comunicação da Prefeitura de João Pessoa (PMJP). Os recursos estão sendo retirados de áreas como a saúde, habitação e mobilidade urbana.

“A oposição está reclamando do remanejamento de R$ 3 milhões para a comunicação. Mas é isso mesmo. É muita obra. Tem que divulgar”, justificou seu voto o vereador Dinho (PMN), da bancada de sustentação política do prefeito Luciano Cartaxo na Câmara, exemplificando com algumas obras, como a colocação de nova iluminação na Avenida Dom Pedro II e a construção e inauguração de 54 praças na cidade.

Os vereadores Bruno Farias (PPS) e Marcos Henriques (PT), da oposição, tentaram impedir a votação do projeto, alegando que a reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) não teria cumprido o prazo regimental de 24 horas para que o projeto fosse a plenário. “E para formar a pauta do dia tem que haver a reunião do colégio de líderes, o que não houve”, apontou Bruno Farias.

E ele destacou: “Estão retirando recursos da UPA, do Hospital do Valentina, do remédio, da saúde e até R$ 300 mil da Barreira do Cabo Branco para que o governo faça propaganda?… Vá dormir com uma coisa dessa…”.

O também oposicionista Tibério Limeira (PSB) acrescentou que está sendo retirado R$ 1 milhão do projeto do BRT e mais R$ 700 mil que seriam para projetos de construção de moradias. “Tudo indo para a comunicação. É melhor divulgar o serviço do que fazer o serviço?”, indagou Tibério. “Isso é um absurdo. Isso é grave. Dinheiro para autopromoção do prefeito? Esse é o cheque que a Câmara vai assinar hoje?”

Reclamando de que vereadores governistas “queriam lhe calar no grito” em plenário, o vereador Leo Bezerra (PSB), desabafou: “Sou oposição e dei celeridade a esse projeto do prefeito na comissão, a pedido de vereadores governistas. Mas chamei todos para discutir e ninguém apareceu. E vêm hoje rasgar o Regimento Interno? O prefeito não precisava disso. Esse constrangimento que ele está passando hoje, aqui. O projeto poderia ter sido debatido nas comissões. Eu tentei fazer o melhor atendendo a dois pedidos… E fazem isso?”.

A vereadora governista Helena Holanda (PP) reclamou das críticas dos colegas oposicionistas, afirmando: “Não é verdade que os vereadores estão dizendo que não conheciam o projeto. Estão fazendo uma encenação política. E o prefeito Luciano Cartaxo  tem responsabilidade”.

Outra vereadora que defendeu o remanejamento dos recursos municipais para a comunicação de Cartaxo foi Eliza Virgínia, justificando: “O BRT não está sendo feito por problemas administrativos e vamos perder o dinheiro? Os recursos não estão sendo utilizados e devem ir para outras áreas”.

Diário da Paraíba

Contato com a Redação:

empauta2010@gmail.com

Compartilhe:

No Banner to display


Deixe o seu comentário