Debandada bolsonarista: deputada federal deixa PSL “atirando” em Bivar

Filiada ao PSL para, segundo ela, apoiar o presidente Jair Bolsonaro, a deputada federal Alê Silva (MG) anunciou nessa quarta-feira (9) sua desfiliação do partido. Primeira baixa da bancada na Câmara desde que a crise interna fugiu de controle, Alê saiu atirando.

A deputada acusa o presidente do partido, Luciano Bivar (PE), de determinar sua exclusão da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) após ela pedir o adiamento da votação de um projeto de lei que beneficia as seguradoras do ramo imobiliário, setor em que o deputado pernambucano atua.

“A partir de hoje não me considero do partido. Sou a primeira baixa efetiva”, disse a deputada, que deve migrar para o Podemos, ao Congresso em Foco. Veja o vídeo aqui.

Alê conta que participava da reunião da CFT dessa quarta quando foi abordada pelo deputado Felipe Francischini (PSL-PR) que a questionou por ter feito o pedido que adiou a votação de um projeto que alivia o caixa das seguradoras. A deputada mostrou ao colega uma minuta do Ministério da Economia que recomendava a rejeição da proposta por onerar os cofres públicos em mais de R$ 25 bilhões em favor das empresas do setor. “O Francischini demonstrou irritação e me disse que o projeto era de interesse do Bivar”, afirma.

Após a conversa com Francischini, ainda durante a reunião, Alê foi informada por um assessor da Comissão de Finanças e Tributação que acabara de ser excluída do colegiado por decisão do próprio partido. Em discurso emocionado, ela disparou contra o PSL e anunciou seu desligamento da legenda.

“Até o início da sessão meu nome estava ali no painel. Acabei de receber a comunicação de que fui excluída da CFT pelo meu partido. Aliás, meu partido até esse dado momento. Esse partido não é do governo, esse partido não é do Bolsonaro, esse partido só quer dinheiro e que se dane o povo brasileiro. Só quer dinheiro”, protestou.

Diário da Paraíba com Congresso em Foco

Compartilhe:

No Banner to display


Deixe o seu comentário