‘Gato de energia’ pode render cinco anos de prisão e multa a responsável

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar em gato de energia elétrica, mas sabe quais são os riscos e consequências dessa prática? O furto de energia é feito por meio de ligações clandestinas que puxam a eletricidade diretamente da rede, tornando indetectável o consumo no medidor da unidade consumidora com gato. A alteração no medidor de energia tem o objetivo de não registrar todo o consumo de um imóvel.

Quando uma pessoa furta energia, o gasto não é registrado no medidor dela. No entanto, esse custo é dividido entre todos os clientes, prejudicando toda população, incluindo quem nunca adotou essa prática. Além do prejuízo financeiro, os gatos de energia oferecem diversos riscos, como choque elétrico e incêndios, e são inimigos da qualidade no fornecimento de energia, uma vez que causam oscilações e interrupções.

Tendo em vista que muita gente não conhece os impactos da prática, reunimos informações importantes, tanto do ponto de vista legal quanto dos perigos para a população.

Os riscos dos gatos 

Quando há uma ligação clandestina à rede elétrica fica sobrecarregada, podendo acarretar na queima de transformadores, oscilação no sinal de energia e até quedas ou curtos-circuitos. Com isso, os eletrodomésticos e demais eletrônicos de uma residência afetada podem até parar de funcionar. Deste modo, os furtos de energia também oferecem impactos negativos para os aparelhos elétricos.

Mas, o risco não é apenas material. Basta uma rápida pesquisa no Google pelos termos “gato de energia” e “acidente” para perceber o quanto as ligações clandestinas são perigosas. Interferir na rede elétrica sem os devidos equipamentos traz grandes chances de descargas elétricas, sendo alto o risco de choque para quem faz o gato. Outra consequência é o superaquecimento da rede que pode ocasionar incêndios e afetar a vizinhança.

As consequências jurídicas 

Nem todo mundo sabe, mas existem consequências jurídicas para as pessoas que fazem gato de energia. De acordo com o artigo 155 do Código Penal, as ligações clandestinas são consideradas furto, com pena de até cinco anos de reclusão e multa. Já a adulteração do medidor é estelionato, crime previsto também no código, no artigo 171.

Como denunciar o furto de energia  

A Energisa fiscaliza com frequência a rede elétrica para constatar irregularidades. Mas, apesar disso, as denúncias são fundamentais para combater os furtos de energia. Para que a qualidade na distribuição seja a melhor, é de grande importância que os clientes denunciem ligações clandestinas e fraudes nos medidores, caso tenham conhecimento de algum caso.

Qualquer pessoa pode denunciar de forma rápida, segura e sigilosa. Para isso, basta entrar em contato com a Energisa através de um dos canais de atendimento: 0800 083 0196; site energisa.com.br; facebook ou twitter; agência de atendimento; Energisa On, aplicativo gratuito para smartphone; ou por meio da atendente virtual Gisa, no whatsapp (83) 99135-5540.

Diário da Paraíba com Paraíba Já

Compartilhe:

No Banner to display


Deixe o seu comentário