No Banner to display

Guedes admite novas parcelas de ajuda emergencial, mas defende corte para R$ 200

O ministro da Economia, Paulo Guedes admite a hipótese de estender a concessão do auxílio emergencial por mais um ou dois meses desde que seja cortado de R$ 600 para R$ 200. “Se voltar para R$ 200 quem sabe não dá para estender um mês ou dois? R$ 600 não dá”, disse Guedes, na terça-feira (19), durante reunião com empresários.

Ele defende a redução do valor por causa das limitações das contas públicas. O auxílio foi criado para atender a necessidade de trabalhadores informais que ficaram sem o sustento devido a pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Diário da Paraíba com G1

Compartilhe:

No Banner to display