No Banner to display

Nonato Bandeira descarta eleições de 2020 ““Ta fora de questão”

Durante entrevista à TV Master nesta quinta-feira (4), no Programa Agora Master de forma remota, o secretário de Estado da Comunicação, Nonato Bandeira, destacou o trabalho que o governo da Paraíba tem desenvolvido no combate à pandemia da Covid-19 e listou algumas das atividades lideradas pelo gestor João Azevêdo (Cidadania), como por exemplo a inauguração do Hospital Solidário, localizado no estacionamento do Hospital Metropolitano, na Grande João Pessoa, e também a construção do Hospital das Clínicas de Campina Grande, que será entregue nesta sexta-feira (5).

“Estaremos inaugurando também na próxima semana o Hospital Santa Paula, ou seja, três hospitais, mais de 900 leitos nesse período. Tudo isso porque nos antecipamos ao problema”, afirmou Nonato.

Ele também relembrou que o governo foi criticado no inicio da pandemia por anunciar o primeiro decreto para controlar a doença mesmo sem anúncio de morte no estado, ressaltou a contratação de mais de 3.000 profissionais da saúde e a eficácia das ações. “Ninguém vai esperar acontecer o caos e depois recolher corpos e pessoas doentes no meio da rua. Governador responsável se antecipa à situação”, concluiu.

O secretário aponta que a o próximo passo é a reabertura do comércio e pediu responsabilidade no uso da máscara, distanciamento social e demais cuidados de higiene para que não acontece outras ondas epidemiológicas da pandemia na Paraíba, como vem acontecendo em outras regiões do mundo.

Em outro momento, Nonato também afirmou que após o fim da gestão do governador João Azevêdo, ele finalizará sua vida pública. Nonato afastou os rumores de que poderia ser um dos secretários a pedir sua desincompatibilização do governo para disputar algum cargo nas eleições deste ano.

“Ta fora de questão. Eu tenho dito desde o início da gestão, antes mesmo de ser convidado, eu disse que sairia da vida pública. Deixei a presidente do partido, mas diante da convocação do amigo João Azevêdo eu disse que iria continuar na vida publica só durante o seu mandato”, afirmou.

Nonato revelou que deseja, ao fim da gestão em 2022, voltar à iniciativa privada, onde já atuou por décadas. “Quero voltar ao jornalismo, à publicidade, ao marketing politico. Quero dar essa minha ultima contribuição à vida publica”, disse o secretário.

O auxiliar do governo João Azevêdo também fez um desabafo sobre a atual situação do debate político no país, citando a força dos radicalismo e do extremismo nas lideranças políticas. “Eu acho que a política infelizmente está criminalizada, as instituições de um modo geral”, finalizou Nonato.

Paraíba Master


No Banner to display