Time do Al Hilad poderá ser o algoz do Flamengo, avisa paraibano na Arábia

O jogador paraibano Geraldo Filho, que atualmente joga no futebol da Arábia Saudita, revela que recentemente enfrentou o time do Al Hilal, adversário do Flamengo no Mundial de Clubes no Qatar, na terça-feira (17), e é seguro ao afirmar: “Não adianta pensar no Liverpool, o Flamengo vai enfrentar possivelmente um Al Hilal muito forte, com jogadores renomados, tais como o IGiovinco, Cuellar, Gomis, André Carillo e o ídolo do clube e brasileiro Carlos Eduardo. Tem que ficar esperto”, ressalta Geraldo.

Feliz na Arábia Saudita, Geraldo, nascido em Campina Grande e que não descarta um retorno ao futebol brasileiro após receber sondagens, é um atleta profissional de futebol, com onze anos de carreira, tendo feito base no Palmeiras, atuando no Brasil e na Lituânia. O atacante acumula passagem por 20 clubes em sua carreira. Em grande fase no futebol árabe, começa a analisar possíveis propostas do mundo árabe e também do Brasil.

Assim como muitos outros jogadores de futebol, teve uma infância complicada. Deu a volta por cima após a perda do seu pai, em 2008. Com todo o sofrimento pela sua perda inestimável, ele ainda fez na Arábia o gol que Pelé não fez (veja o vídeo abaixo) e teve uma incrível adaptação rápida ao futebol asiático.

“Meu pai, posso dizer, que representou tudo na minha vida de jogador. Se não fosse por ele, jamais teria chegado onde cheguei. Sem dúvidas é minha maior inspiração. Sempre penso nele, seja na tristeza ou nos momentos felizes. Ele foi o responsável por ter me tornado um atleta profissional. Sei que está comigo em todos os lugares que eu for”, disse Geraldo em entrevista para o Globo Esporte.

Ao ser questionado sobre qual jogador seria sua inspiração, Geraldo responde: “Se existe um cara no futebol brasileiro que pode ser a minha inspiração, esse cara seria Ricardo Oliveira, que atualmente joga no Atlético Mineiro”.

Geraldo Batista dos Santos Filho nasceu a 20 de março de 1991, na cidade de Campina Grande. Simplesmente Geraldo ou G09, pode-se dizer que ele é mais “um cigano da bola”. Aos 28 anos, esta defendendo seu 21º clube e sempre deixou sua marca de artilheiro por onde passou.

No Brasil defendeu equipes como o Estrela do Norte (ES), XV de Piracicaba (SP), Sampaio Correa (MA), Tupi (MG), Campinense (PB), entre outros. Há dois anos foi buscar novos ares e se encontrou na Arábia Saudita. Em sua primeira temporada no país árabe, terminou como artilheiro de sua equipe, o Al-Sahel, equipe da segunda divisão saudita, marcando 12 gols.

Em 2019, retornou ao país e desta vez para defender a equipe do Arar F. C. No dia 11 de outubro deste ano, em sua estreia, marcou um golaço do meio de campo, o gol que Pelé não fez. “Não poderia ser melhor. Foi o gol mais bonito da minha carreira”, declarou Geraldo ao final do jogo de estreia, quando sua equipe saiu com a vitória por 3 a 0 sobre a equipe do Al-Hjazz.

Ao ver o gol marcado pelo paraibano, o sheik Abu Mohamedd, presidente da equipe do Arar, saiu correndo para abraçá-lo e gritando para todos: “É o Gol Puskas 2020”.

Diário da Paraíba com Exame e SambaFoot

Contato com a Redação: empauta2010@gmail.com