Marcelo Crivella manda censurar HQ dos Vingadores na Bienal do Livro, no Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), anunciou em postagem nas redes sociais que mandou censurar exemplares do gibi “Vingadores – A Cruzada das Crianças”, expostos na Bienal do Livro.

“A Prefeitura do Rio de Janeiro determinou que os organizadores da Bienal do Livro recolhessem esse livro [Vingadores – A Cruzada das Crianças], que traz conteúdo sexual para menores”, disse Crivella, em vídeo.

O gibi traz imagens de dois rapazes trocando carícias e se beijando, completamente vestidos.
Segundo a organização, após a postagem, a prefeitura mandou uma notificação extrajudicial para a Bienal, na qual não é pedido o recolhimento, mas que os livros fossem lacrados e viessem com uma classificação indicativa ou aviso de que há material ou cenas proibidas para menores de idade.

“Livros assim precisam estar embalados em plásticos preto lacrado e, do lado de fora, avisando o conteúdo. Portanto, a Prefeitura do Rio de Janeiro está protegendo os menores da nossa cidade”, disse no vídeo o prefeito.A organização da Bienal afirmou que não irá recolher nem embalar nenhum livro, pois o conteúdo não é impróprio e nem pornográfico


Em nota, a Bienal ainda disse que “dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá dois painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+”.

Sobre o conteúdo, a organização do evento diz que se qualquer pessoa que se sentir ofendida, ou não gostar do material, tem todo o direito de trocar o livro.

O último fim de semana da Bienal do Livro trará destaque para temas LGBT e de diversidade. Numa série de mesas, como “Literatura Trans”, “Feminismo X Machismo” e “Literatura Arco-Íris”, os temas serão discutidos por personalidades como o youtuber Spartakus Santiago, a poeta e slammer Mel Duarte.

Na terça-feira (3) foram censurados charges, tirinhas e cartuns com conteúdo crítico ao governo de Jair Bolsonaro (PSL), expostos na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. 

A exposição “O Riso é Risco: Independência em Risco – Desenhos de Humor” deveria ficar em cartaz até 13 de setembro, mas durou menos de 24 horas. As obras foram recolhidas por ordem da presidente da Câmara, a vereadora Mônica Leal (PP).

“São charges ofensivas com o presidente Bolsonaro lambendo botina do Trump, com uma cadeira presidencial vazia com penico em baixo. Mandei retirar a exposição. Fosse o presidente [retratado] que fosse, não importa a sigla que fosse, não é concebível uma exposição que ofenda o presidente da nação”, disse Leal.

Representantes da Associação Riograndense de Imprensa (ARI) disseram que “a censura imposta ao trabalho dos cartunistas, independentemente do conteúdo ou outras razões, é injustificável “.

Folha de S.Paulo

Compartilhe:

No Banner to display


Deixe o seu comentário